Temporada 2010-2011 Teatro Nacional de São Carlos


No lançamento hoje de manhã. Agência Lusa.

Veio, de facto, um Gianni Schicchi. Para tristeza do Blogger do «Ópera Para Principiantes», não há nem Massenet nem Leoncavallo. Pelos vistos, André é mesmo o sucessor do alemão. Só para começar, o TNSC tem a lata de anunciar a D. Branca como se fosse temporada 2010-11 e não 2009-10. Temos verismo; temos dois grandes dramalhões d'amore violento -- Cavalaria Rusticana e Carmen --; temos repertório moderno, como Janacek, Gershwin e Nino Rota. Ou seja, esperamos 5 operas a sério. Eu estou a ver é que repetimos este desastre económico com metade das óperas.


O que interessa....

Donna Branca - 29 de Setembro a 5 de Outubro.
Novidades: A. Stundyte, John Hudson. Dir. musical de Johannes Stert.
(Salta o tal doente Casciarri e vem John Hudson.)

Cavalaria Rusticana - 3 a 7 de Novembro.
Novidades: Sónia Alcobaça. Dir. musical de Martin André.

Kátìa Kabanová - 8 a 18 de Janeiro.
Novidades: Magnus Baldinvsson, Arnold Bezuyen, Dagmar Pekova, Hans Georg Priese, A. Stundyte. Dir. musical de Julia Jones.

Gianni Schicchi + Blue Monday - 10 a 19 de Fevereiro
Novidades Puccini: Yannis Yannissis, Leonardo Capalbo, (Ana Paula Russo). Direcção musical de Moritz Gnann.

Carmen - 11 a 26 de Junho
Novidades: Rinat Shaham, Andrew Richards. Direcção Musical de Julia Jones.


O que não interessa nem ao menino Jesus....

Il Capello Di Paglia Di Firenze  - 14 a 21 de Maio.

«Banksters», de Nuno Côrte-Real - 18 a 26 de Março.

Mantém-se a malta do costume: Maria Luísa de Freitas, Chelsey Schill, Luisa Francesconi, Carlos Guilherme, João Merino, João Oliveira, Leandro Fischetti, Musa Nkuna, Luís Rodrigues, Marco Alves dos Santos, Mário Redondo, etc.

E ainda assim, tanta gente estava hoje na bilheteira e ao telefone a comprar frisas, camarotes e demais lugares!...

Leitura -> É melhor não contar com mais de 5 óperas...

9 comentários:

  1. É, realmente, uma temporada muito fraca. Aguardemos que os cantores portugueses mostrem que estão à altura e que são dispensáveis as contratações dos estrangeiros que têm vindo nos últimos tempos.

    ResponderExcluir
  2. Não há Massenet mas há Bizet. Até rima e Podia ser pior. Ou então não lol

    vai ser um ano fraco, como já se calculava. Mas uma cavaleria em concerto a solo? já acho demais!

    ResponderExcluir
  3. Para que não seja levantado qualquer conflito de interesses mantenho o anonimato.

    Em relação ao Il capello di paglia, recomendo em modo de pre-audição uma versão com Mariella Devia, Magda Oliveiro e Edorado Ginénez.

    http://www.amazon.co.uk/gp/product/B001HOXY2Y/ref=dm_sp_alb?ie=UTF8&qid=1284647848&sr=8-2

    Esta foi também a opera que ,basicamente catapultou Juan Diego Florez para o estrelato. Não sei se esta versão alguma vez foi editada, completa em áudio ou vídeo, no entanto existem vários excertos muito interessantes no youtube.

    Fica a diga.

    Cumprimentos.

    ResponderExcluir
  4. Mas, ó anónimo, apesar de ter história, convenhamos que o Capello di Paglia - ainda por cima em S. Carlos - não deve ser uma ópera de grande interesse. Pode arranjar qualquer coisa que o identifique, assinando e.g. Anonimo1, para que o possamos distinguir de outros anónimos?

    Realmente, pergunto-me o que é que custará arranjar um cenáriozinho para a Cavalaria... Julgo que Massenet e Bizet não rimam na oralidade, tipo "Bizé" e "Massenê".

    ResponderExcluir
  5. Quanto as escolhas da óperas, é tudo bastante relativo. Concordo consigo que preferia ver na temporada também um Mozart ou um Verdi, mas também lhe posso garantir de fonte segura que o facto de esta temporada existir como existe é um MILAGRE! Ou será que como alguns ilustres da nossa praça preferia ver o São Carlos de portas fechadas!? Não me parece!
    Por outro lado haverão alguns que rejubilarão seguramente com a temporada, é tudo um questão de perspectiva. O Plácido tem a sua outros terão a deles! heheh!

    Quanto ao arranjar um cenáriozinho para a Cavalleria, era bom que fosse assim tão simples. É mais do que pegar em meia dúzia de coisas e enfiar pelo palco a dentro. Implica um encenador um cenógrafo um desenhador de luzes, um figurinista...dezenas de elementos devem ser considerados... Para alem da parte logística do próprio Teatro São Carlos. São necessários locais para ensaios de cena, dentro e fora de palco bem como para orquestra, que não pode ensaiar no palco (que como deve saber não tem local de ensaio fixo!)... A lista é quase interminável, Tudo isto acarreta custos e muito elevados. (Não estou com isto a defender nem a criticar as escolhas do director artístico é apenas uma breve explicação... podíamos ficar aqui até amanhã!)

    Cumprimentos,
    Anonimo1 :D

    ResponderExcluir
  6. Uma decepção de temporada! No entanto, as poucas óperas que se vão fazer poderão ter algum interesse! Aguardemos... Saudações operáticas para todos!

    ResponderExcluir
  7. De facto, a temporada mais depauperada que já vi.

    ResponderExcluir
  8. para todos os criticos que estão neste blogue proponho que tenem montar uma temporada inteira 3 meses tal como martin andré fez. ainda mais com os cortes do orçamento que houve.
    ouçam a evolução da orquestra quer a nivel sinfonica quer a nivel operatico e no final da temporada falamos.abraço

    ResponderExcluir
  9. Caro Anónimo,
    Não nos trate por críticos, que ninguém nos oferece lugares em frisas ou no centro da plateia...
    A questão não é nós conseguirmos ou não fazer; é André conseguir. Ele é pago para isso - e somos nós quem lhe paga. Este blog, no que refere a S. Carlos, não é mais do que uma forma de manifestar o nosso descontentamento quanto emprego do nosso dinheiro.

    ResponderExcluir